Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 07/01/2021 09:07
   
 

  Eleições em Bom Jesus de Goiás e Itajá devem ser decididas pelo STF

Vítor Santana
www.g1.com Foto: Reprodução TV Anhanguera


As eleições de Bom Jesus de Goiás e Itajá devem ser decididas pelo Supremo Tribunal de Federal (STF). No primeiro caso, há um impasse sobre o período de inelegibilidade do candidato eleito. Já no segundo caso, resta a dúvida se o prefeito iria para o seu terceiro mandato consecutivo ou não.

Devido ao recesso do judiciário, ainda não há uma data de quando o andamento dos processos será retomado. Os recursos ainda serão apresentados ao STF. Enquanto isso, os presidentes das Câmaras de Vereadores assumiram as administrações das cidades.

Em Bom Jesus de Goiás, o prefeito eleito foi o Adair Henrique (DEM). Em 2009 ele foi condenado em segunda instância por crime contra a administração pública, por ter doado de maneira irregular lotes do município. Em 2015, o processo foi transitado em julgado, ou seja, não havia mais recursos.

“O prazo de inelegibilidade é de oito anos. Resta saber se esse prazo é contado a partir da condenação pelo colegiado ou se ele é contado duas vezes, também quando é transitado em julgado”, explicou o advogado Dyogo Crosara.

De acordo com o defensor, Adair tentou concorrer nas eleições de 2012, mas foi considerado inelegível. “Isso mostra que o tempo de inelegibilidade já estava contando. Porém, se for considerado que o tempo deve ser contato a partir de 2015, ele ficará inelegível por um tempo desproporcional”, completou.

Já em Itajá, o candidato eleito foi Renis César (DEM). Em 2012, quando ele ocupava o cargo de vice, assumiu a administração por um período de 10 dias após o então prefeito ter sido afastado. Após esse período, ele voltou a ser vice.

Já em 2016, ele foi eleito como prefeito e, neste último pleito, reeleito. “Porém, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) considerou que ele o Renis estava indo para o terceiro mandato. O recurso é para definir se esses dez dias na frente da prefeitura será considerado como um mandato”, explicou Crosara.


   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Secretário de Saúde de Pires do Rio é afastado do cargo após vacinar a esposa contra Covid-19

Câmara de Catalão aprova licença de Adib Elias por tempo indeterminado

Vianópolis registra quatro novos casos de Covid-19

Silvânia tem mais sete casos de Covid-19

Escolas estaduais de Silvânia continuam com aulas não presenciais até o final de fevereiro

Enel realiza mutirão de manutenção da rede elétrica na zona rural de Orizona

Catalão ultrapassa 100 mortes por Covid-19

Silvânia não registra novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira

Motorista da Secretaria de Saúde é o primeiro a ser vacinado contra a Covid-19 em Leopoldo de Bulhões

Internos do Lar dos Idosos e da Residência Terapêutica de Silvânia serão vacinados contra a Covid-19

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2019 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato