Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 23/05/2020 09:17
   
 

  Justiça nega pedido do Ministério Público e mantém academias abertas em Goiás

Vítor Santana
www.g1.com Foto: Reprodução

A Justiça negou um pedido do Ministério Público de Goiás para que as academias voltassem a ser fechadas. Assim, está mantida a liminar que permitiu a reabertura dos estabelecimentos, desde que sejam respeitadas algumas normas para evitar a propagação do coronavírus.

As academias estavam fechadas devido ao decreto do governo estadual que estabeleceu medidas para conter a dispersão do coronavírus, publicado em março. Porém, uma decisão do desembargador Gilberto Marques atendeu a uma solicitação do Sindicato dos Profissionais em Educação Física do Estado de Goiás (Sinpef-GO) e permitiu a reabertura com 30% da capacidade total, na quinta-feira (22).

O pedido toma por base o decreto federal assinado pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 11, que inclui, além das academias, salões de beleza e barbearias como "atividades essenciais".

O procurador-geral de Justiça, Aylton Vechi, foi o autor do pedido do MP-GO para que a decisão do desembargador fosse suspensa. Ele argumentou na ação ser praticamente "impossível assegurar que o simples distanciamento entre pessoas evitará o contágio" pela doença Covid-19.

Porém, o procurador-geral de Justiça entendeu que o valor da vida "não pode ser mitigado para preservação de uma atividade empresarial, ainda mais em momento em que multicitada enfermidade ganha proporções avassaladoras sobre o sistema de saúde goiano” e que a reabertura das academias e congêneres, mesmo com a limitação estipulada pelo desembargador, gera riscos aos frequentadores.

Apesar das alegações feitas pelo procurador-geral de Justiça, o desembargador Nicomedes Domingos Borges negou o pedido do Ministério Público. O magistrado argumenta que, à primeira vista, não viu urgência na concessão da ação do procurador-geral, pois não verifica que a reabertura das academias dentro das cautelas necessárias possa “causar dano irreparável ou de difícil reparação até o julgamento definitivo do presente pedido de suspensão”.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Vianópolis confirma 3º caso de coronavírus

Governo nomeia indicado do Centrão para comandar fundo de R$ 30 bilhões da Educação

Número de casos de coronavírus passa de 500 mil no Brasil

Goiás ultrapassa 3,7 mil casos confirmados de Covid-19 e tem 124 mortes

Presos em Pires do Rio, dois acusados do assassinato de mulher desaparecida em Goiás desde fevereiro

Morador de Gameleira de Goiás morre com sintomas suspeitos de Covid-19

Acordo fixa prazo de 20 dias para análise de pedidos do auxílio de R$ 600

Justiça determina home office nos Correios de Catalão após casos de covid-19

Conselho Estadual de Educação autoriza aulas não-presenciais até 30 de junho

Hospital de Campanha de Porangatu é inaugurado por Ronaldo Caiado

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2019 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato