Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 07/07/2020 09:37
   
 

  São Paulo inicia testes da vacina contra coronavírus no dia 20 de julho

Agência Brasil
Da Redação Foto: Reprodução/G1-Globo

Após aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última sexta-feira, 3, o governo de São Paulo vai iniciar a fase 3 de teste em humanos da vacina contra o novo coronavírus, chamada de CoronaVac, no dia 20 de julho.

A partir da próxima segunda-feira, 13, os voluntários já poderão se inscrever. A inscrição será obrigatoriamente para profissionais da saúde.

“Com a aprovação da Anvisa, começaremos o processo de testagem a partir do dia 20 de julho”, disse o governador de São Paulo, João Dória (PSDB).

Os voluntários para a CoronaVac serão selecionados entre profissionais de saúde, da rede pública ou privada, com mais de 18 anos, que não tenham tido covid-19 [a doença provocada pelo novo coronavírus] e que não estejam em teste para outras vacinas.

Esses voluntários poderão se candidatar por meio de um aplicativo do Instituto Butantan, que deverá ser lançado na próxima segunda. Os voluntários não poderão ter doenças instáveis [que afetem a resposta imune], distúrbios de coagulação e, as mulheres não poderão estar grávidas.

A vacina contra o novo coronavírus é desenvolvida pela Sinovac, sediada na China, e é uma das mais promissoras do mundo, porque utiliza tecnologia já conhecida e amplamente aplicada em outras vacinas. É também uma das mais avançadas em testes. Ela já está na terceira etapa, chamada clínica, de testagem em humanos. O laboratório chinês já realizou testes do produto em cerca de mil voluntários na China, nas fases 1 e 2. Antes, o modelo experimental aplicado em macacos apresentou resultados expressivos em termos de resposta imune contra as proteínas do vírus.

Os testes com a CoronaVac serão realizados em 9 mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados brasileiros: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A pesquisa clínica será coordenada pelo Instituto Butantan e o custo da testagem é de R$ 85 milhões, custeados pelo governo.

A vacina é inativada, ou seja, contém apenas fragmentos do vírus, inativo. Com a aplicação da dose, o sistema imunológico passaria a produzir anticorpos contra o agente causador da covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. No teste, metade das pessoas receberão a vacina e metade receberá placebo, substância inócua. Os voluntários não saberão o que vão receber.

Esta é a segunda vacina que está sendo testada no Brasil. A primeira é a que está sendo produzida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Brasil chega a 2,8 milhões de casos do novo coronavírus; 70,3% estão recuperados

Covid-19: Goiás registra 3.433 novos casos e 75 mortes em 24 horas

Começam obras do horto florestal de Bela Vista de Goiás

Criança picada por cobra em Ipameri é transferida para Goiânia de helicóptero

Secretaria da Saúde de Silvânia registra mais três casos positivos de Covid-19

Polícia Federal faz operação contra fraudes nos Correios

Com a pandemia, leitos de UTI aumentam 45% no País

Goiás tem 70.252 contaminados e 1.716 mortos pelo coronavírus, diz governo

Centro de Atendimento para Enfrentamento da Covid-19 começa a funcionar em Vianópolis com testagem da população

Grupo Correndo Bem Silvânia lança Desafio Virtual 100 km de corrida de rua

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2019 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato