Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 28/03/2020 10:50
   
 

  Gestores são investigados por improbidade administrativa, em Catalão

Artur Dias
www.emaisgoias.com.br Foto: Divulgação/MP

Diretores da Superintendência Municipal de Água e Esgoto de Catalão (SAE) e mais nove empresas são alvo de uma ação civil pública que investiga a contratação de serviços sem licitação nem contrato formal em janeiro de 2018. Segundo as investigações, foram pagas por essas contratações cerca de R$ 1,8 milhão.

Os acordos e pagamentos feitos para as empresas sem licitação eram feitos com a orientação de dois servidores da SAE: Fernando Vaz Ulhôa, superintendente, e Oriovaldo Cândido Leão, diretor jurídico. Ambos podem responder pelo crime de improbidade administrativa. Foram citadas, ainda, mais 12 pessoas, ligadas às empresas que receberam os recursos.

De acordo com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), depois que as contratações eram feitas, as empresas protocolavam ações de cobrança na justiça contra a SAE. Antes mesmo que as partes fossem citadas, um acordo de confissão de dívida era feito e os valores integrais dos pedidos eram pagos.

A promotora responsável pelo caso, Ariete Cristina Rodrigues Vale, informou que toda a transação foi planejada para que as empresas pudessem receber os valores. “O artifício falacioso da judicialização da demanda, já com a predisposição para transação, com reconhecimento do pedido, foi previamente pactuado, para, a partir da homologação pretendida, dar ares de legalidade aos pagamentos que pretendia realizar”, afirmou.

O texto da ação aponta ainda que, em cinco das dez ações de cobrança, a advogada que representou a empresa era é nora de Oriovaldo Leão. Para o MP-GO, isso reforça que houve favorecimento, violação do interesse público dos princípios da moralidade e da impessoalidade.

Além de requerer que os diretores da SAE e os empresários envolvidos respondam por improbidade administrativa, a promotora solicitou que os direitos políticos de todos sejam cassados e que eles sejam proibidos de contratar com o poder público. O Mais Goiás tentou contato com a secretaria por telefone. Entretanto, as ligações não foram atendidas até o fechamento da matéria. O espaço está aberto para manifestação.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Vianópolis confirma 3º caso de coronavírus

Governo nomeia indicado do Centrão para comandar fundo de R$ 30 bilhões da Educação

Número de casos de coronavírus passa de 500 mil no Brasil

Goiás ultrapassa 3,7 mil casos confirmados de Covid-19 e tem 124 mortes

Presos em Pires do Rio, dois acusados do assassinato de mulher desaparecida em Goiás desde fevereiro

Morador de Gameleira de Goiás morre com sintomas suspeitos de Covid-19

Acordo fixa prazo de 20 dias para análise de pedidos do auxílio de R$ 600

Justiça determina home office nos Correios de Catalão após casos de covid-19

Conselho Estadual de Educação autoriza aulas não-presenciais até 30 de junho

Hospital de Campanha de Porangatu é inaugurado por Ronaldo Caiado

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2019 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato