Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 08/10/2019 08:43
   
 

  Bradesco é condenado por demitir funcionário soropositivo, em Mineiros

Artur Dias
www.emaisgoias.com.br Foto: Google Imagens/Imagem Ilustrativa

O Banco Bradesco foi obrigado a indenizar um ex-funcionário por demissão discriminatória em Mineiros. De acordo com o processo, que corre em segredo de justiça, o trabalhador foi desligado da empresa quando foi descoberto que ele era portador do vírus HIV.

De acordo com os autos, A.R.C era funcionário do banco entre os anos de 2016 e 2018. Quando ele foi diagnosticado, iniciou o tratamento e apresentou alguns atestados médicos para a empresa. Pouco tempo depois, foi demitido sem justa causa.

O ex-funcionário, então, entrou na Justiça com um pedido de reintegração ao cargo, bem como o pagamento dos salários e direitos trabalhistas referentes ao tempo em que ficou afastado. Ele solicitou, ainda, uma indenização por danos morais. Nos autos, a defesa de A.R.C alegou que trabalhadorprecisaria do plano de saúde e dos recursos para custear exames e tratamento médico.

Em decisão liminar, a justiça acatou a solicitação, exigindo que o banco recontratasse o funcionário no prazo de 48 horas, sob pena de pagamento de multa R$ 1 mil diários em caso de descumprimento. Em seguida, o juiz do trabalho Ranulho Mendes Moreira condenou o Bradesco a reintegrar A.R.C. ao quadro de funcionários e a pagar R$ 100 mil de indenização por danos morais.

Preferiu indenizar a recontratar

Ao ser notificado da decisão, o Bradesco recorreu à segunda instância da justiça do trabalho. E solicitou que a recondução de A.R.C ao cargo fosse convertida em indenização. A medida, de acordo com a defesa do funcionário, demonstrou que a empresa, “embora condenada, ainda mantém as práticas abusivas e discriminatórias”. Para os advogados do ex-funcionário, o banco prefere pagar a ter o requerente no quadro de colaboradores.

A.R.C solicitou, então, uma indenização de R$ 9,5 milhões, levando em conta todos os salários e benefícios a que ele teria direito. O cálculo foi feito com base na expectativa de vida, que de acordo com a defesa, era de 76 anos, à época da demissão. Uma audiência de conciliação para acertar o valor foi marcada para a próxima quarta-feira (9).

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Brasil registra mais de 31 mil mortes por Covid-19

Pedidos de auxílio emergencial em análise somam 11 milhões

CCJ da Alego aprova redução de mensalidades das universidades goianas

Senado aprova congelamento de preços de remédios e de planos de saúde

Aprovado na Assembleia projeto que zera ICMS de energia elétrica em Goiás

Goiás tem 151 mortes e 4.293 casos de coronavírus

Detran volta aplicar provas de direção para CNH em Goiás

Vianópolis tem 8 casos suspeitos de Covid-19 e o número de pessoas em isolamento sobe para 127

Sobem para 14 os casos confirmados de Covid-19 em Leopoldo de Bulhões

Resultado de exame aponta que morador de Gameleira de Goiás não morreu vítima de Covid-19

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2019 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato