Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 15/03/2019 07:37
   
 

  Juiz condena 5 pessoas por extorquir R$ 2 milhões do padre Robson de Oliveira ameaçando divulgar mensagens pessoais dele

Assessoria de Comunicação Social do MP-GO
www.mpgo.mp.br Foto: Reprodução/A Redação

O juiz Ricardo Prata, da 8ª Vara Criminal de Goiânia, condenou Welton Ferreira Nunes Júnior a 16 anos, 4 meses e 20 dias de reclusão e 51 dias-multa; Túlio Cezar Pereira Guimarães a 15 anos e 6 meses de reclusão e 46 dias-multa; Lidina Alves de Bessa a 13 anos, 3 meses e 10 dias de reclusão e 36 dias-multa, a qual torno definitiva; Elivaldo Monteiro de Araújo a 8 anos e 8 meses de reclusão e 20 dias-multa, e Deusmar Gonçalves de Bessa a 9 anos, 9 meses e 10 dias de reclusão e 23 dias-multa. Eles foram denunciados pelo Ministério Público de Goiás pela extorsão ao padre Robson de Oliveira Pereira.

De acordo com a denúncia do MP-GO, os cinco extorquiram mais de R$ 2 milhões de padre Robson, para que não divulgassem imagens e mensagens eletrônicas com informações pessoais, amorosas e profissionais que levassem a prejudicar sua imagem.

Segundo a denúncia, padre Robson chegou a transferir R$ 2 milhões das contas bancárias da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) para as contas bancárias indicadas pelos réus. Também foram realizados pagamentos de quantias que variaram de R$ 50 mil a R$ 700 mil, em espécie. Nestes casos, o dinheiro era deixado dentro de um veículo Gol estacionado na porta do Condomínio Jardins Valência ou em uma caminhonete Hilux estacionada no Shopping Cerrado.

As extorsões tiveram início em março de 2017. Segundo o inquérito policial presidido pelo delegado Kleyton Manoel Dias, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais, Welton Júnior e Túlio Cezar invadiram o aparelho celular e computadores de padre Robson para obter informações pessoais e profissionais. Usando perfis falsos, eles se apresentaram como detetives que haviam sido contratados para investigar o religioso e passaram a exigir dinheiro para não divulgarem o que haviam descoberto e destruírem as informações.

A denúncia do MP-GO mostrou que no dia 31 de março, foi realizada a transferência bancária de R$ 2 milhões para duas contas bancárias – R$ 1 milhão para cada uma. O dinheiro acabou sendo bloqueado. A partir de então, a exigência passou a ser a entrega de valores em espécie.

No dia 29 de abril, após negociação, foi combinada a entrega de R$ 700 mil em espécie em um imóvel no Setor Leste Universitário. Na ocasião, o emissário enviado para receber os valores foi preso e levou os policiais ao local onde os demais integrantes da organização criminosa poderiam ser encontrados.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Silvânia realiza Conferência Municipal de Saúde na próxima sexta

Edital do Enem é divulgado; taxa de inscrição é de R$ 85

Queniano é escolhido o melhor professor do mundo

Caixa 2 é o crime eleitoral mais apurado pela Polícia Federal

CCJ da Câmara começa a analisar reforma da Previdência esta semana

Dois meses após tragédia em Brumadinho, Vale tem R$13,65 bi bloqueados

Menino de 2 anos é baleado na casa do ex-marido da mãe, em Aparecida de Goiânia

Em novas denúncias, João de Deus é acusado de assassinato e tráfico

Goiás é estado com maior número de celulares irregulares desligados pela Anatel

Nova lei exige autorização judicial para menores de 16 anos viajarem desacompanhados dos pais

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2018 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato
Desenvolvido por DMM Web