Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 13/09/2018 20:06
   
 

  Prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal é preso em operação contra fraudes e lavagem de dinheiro, diz MP-GO

Murillo Velasco
www.g1.com Foto: Divulgação

O prefeito Evandro Magal (PP) foi preso, nesta quinta-feira (13), em uma operação do Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) que apura fraudes em licitação, pagamentos de propina e lavagem de dinheiro na Prefeitura de Caldas Novas. De acordo com o MP-GO, além de Magal, outras 7 pessoas, entre agentes públicos e empresários, foram presas.

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Caldas Novas informou que o prefeito Evandro Magal, por meio da assessoria jurídica informa que "se encontra à disposição da Justiça e que colaborará com as investigações coordenadas pelo MP-GO".

Já o advogado dele, Caio Alcântara, disse que "não há provas contra ele [prefeito] apresentadas nos autos". Disse ainda que "os supostos atos a ele imputados são inverídicos e serão, sem dúvida, esclarecidos perante a Justiça".

A Operação Negociata foi deflagrada na madrugada desta quinta-feira, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado e pelo Centro de Inteligência do MP-GO, em parceria com as polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal.

São cumpridos 32 mandados de busca e a apreensão e 9 de prisão, sendo 5 deles em Caldas Novas, 3 em Goiânia e 1 em Santa Vitória, no Triângulo Mineiro. Um dos mandados da capital não foi cumprido e o homem, que não teve a identidade revelada, segue foragido. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Morrinhos, Itumbiara, Aruanã, Aparecida de Goiânia e Santa Vitória, no Triângulo Mineiro.

O prefeito Evandro Magal foi preso no Residencial Saint Paul, prédio em que mora com a família , em Caldas Novas. E foi transferido às 13h desta quinta-feira, junto com outros 4 presos na cidade, para a sede do MP-GO, em Goiânia.

Entre os locais alvos da operação estão os prédios da Prefeitura de Caldas Novas e do Poupa Tempo, um centro de serviços oferecidos para a população e o gabinete de um vereador, que não teve a identidade revelada.

De acordo com o MP-GO, alguns empresários se beneficiavam com a atuação ilícita dos agentes públicos e estão sendo investigados pelo pagamento de propina.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Candidatos inelegíveis terão de devolver recursos públicos de campanha

Eleições devem mobilizar 2 milhões de mesários em todo o país

MEC anuncia repasse de R$ 8,5 milhões para reconstrução do Museu Nacional

Com mais de 8 mil vagas, Colégios Militares de Goiás recebem inscrições até outubro

Suicídio aumenta 16,8% no Brasil entre 2007 e 2016

Serial killer de Goiânia é condenado a 21 anos de prisão por morte de recepcionista

Agentes de saúde iniciam em outubro cadastro eletrônico da população de Silvânia

Seis postos de vacinação abrem neste sábado para imunizar cães e gatos contra a raiva animal em Silvânia

Evento em Vianópolis marca as comemorações do Dia Nacional da Doação de Órgãos

Dor crônica afeta pelo menos 37% dos brasileiros

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2018 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato
Desenvolvido por DMM Web