Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 13/03/2018 09:03
   
 

  MP denuncia por feminicídio o comerciante que confessou ter matado namorada asfixiada, em Goiânia

Vanessa Martins, G1 GO
www.g1.com Foto: Reprodução Arquivo Pessoal


O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) denunciou o comerciante José Carlos de Oliveira Júnior pelo feminicídio da servidora Giselle Evangelista Gonçalves. Segundo as investigações, ela foi morta por asfixia no dia 16 de fevereiro deste ano. O corpo da vítima foi encontrado pelos familiares no apartamento do denunciado, que está preso.

Conforme a denúncia, o preso usou de “meio cruel” por ter asfixiado a vítima e agiu em contexto de violência doméstica e de relacionamento íntimo. Também segundo o documento, o casal namorava há 1 ano e 8 meses e o homem já teria agredido a mulher fisicamente.

Na data do crime, segundo o MP-GO, a vítima viu o namorado recebendo um vídeo pornográfico em que uma mulher tirava a roupa e eles começaram a discutir. O órgão afirma ainda que ficou confirmado em laudo que, na ocasião, o denunciado imobilizou e esganou Giselle.

O corpo de Giselle foi encontrado no apartamento do comerciante,na Vila Alpes, por familiares da vítima. Eles contaram que não conseguiram contato com a servidora nem com o namorado. Então, foram até o prédio dele, em busca de informações e se depararam com a mulher já sem vida.

Após o crime, o denunciado teria fugido de carro. O comerciante foi preso no dia 17 de fevereiro em Pirenópolis, na região central de Goiás. Se condenado, ele pode pegar uma pena que varia entre 12 e 30 anos de prisão.

Após ser preso, ele confessou o crime. "Tudo gerava briga, ciúmes. Eu não perdi a cabeça naquele dia, já tinha perdido há muito tempo", declarou durante entrevista à imprensa na Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios.

Família

Parentes da vítima suspeitam que o crime possa estar relacionado ao dinheiro da venda de um carro dela. Porta-voz da família, o advogado Silvio Hideki Nishi chegou a dizer que o valor da venda do carro não estava na conta da vítima e que o dinheiro pode estar com o denunciado.

Segundo irmã de Giselle, a psicóloga Michelle Evangelista Gonçalves, de 39 anos, disse que o autor teve sangue frio após o assassinato e tentou disfarçar o odor do corpo antes de fugir.



 
   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Candidatos inelegíveis terão de devolver recursos públicos de campanha

Eleições devem mobilizar 2 milhões de mesários em todo o país

MEC anuncia repasse de R$ 8,5 milhões para reconstrução do Museu Nacional

Com mais de 8 mil vagas, Colégios Militares de Goiás recebem inscrições até outubro

Suicídio aumenta 16,8% no Brasil entre 2007 e 2016

Serial killer de Goiânia é condenado a 21 anos de prisão por morte de recepcionista

Agentes de saúde iniciam em outubro cadastro eletrônico da população de Silvânia

Seis postos de vacinação abrem neste sábado para imunizar cães e gatos contra a raiva animal em Silvânia

Evento em Vianópolis marca as comemorações do Dia Nacional da Doação de Órgãos

Dor crônica afeta pelo menos 37% dos brasileiros

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2018 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato
Desenvolvido por DMM Web