Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 10/10/2017 08:16
   
 

  Goiás deve ter redução de leitos de UTI até novembro

Amanda Sales
www.emaisgoias.com.br Foto: Manu Dias / AGECOM

Cerca de 52 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) podem ser fechadas até novembro por falta de pagamento das diárias nos hospitais privados de alta complexidade credenciados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As informações são da Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg).

O número representa 50% dos leitos do Estado que estão nas cidades de Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia. De acordo com a associação, o valor original da diária de UTI previsto na tabela do SUS para leitos qualificados é de R$ 880. No entanto, os hospitais de alta complexidade estão recebendo o valor básico, que é de R$ 478,71.

Ainda segundo a Ahpaceg, de todas as áreas que necessitam de leitos para UTI, a pediatria, a cardiologia e a neurocirurgia serão as mais prejudicadas, uma vez que o sistema público, sem o auxílio dos hospitais privados de alta complexidade, não consegue manter as demandas dos pacientes.

A dívida com os hospitais chega a R$ 5 milhões, pois desde o início desse ano o complemento da diária parou de ser pago. O presidente da Ahpaceg, Haikal Helou, explica que o motivo desta redução está na inviabilidade econômica da manutenção do atendimento em função dos constantes atrasos nos pagamentos da complementação das diárias devidas aos hospitais credenciados.

O presidente afirmou que vai tentar, junto ao Estado, viabilizar uma maneira de que o repasse seja feito diretamente pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), sem passar pelos municípios como tem sido feito atualmente.

Resposta

Em nota divulgada, a SES afirmou que cofinancia 188 leitos de UTI em Goiânia, 42 em Aparecida de Goiânia e 20 em Anápolis. Além disso, a secretaria alega que só há atraso em Aparecida de Goiânia e somente desde o mês de março. Nesse município, é necessário reatualizar o valor a ser repassado de março a setembro.

Em Anápolis, segundo a SES, apenas os valores relativos ao Hospital Evangélico estão em débito, pois está a análise de faturas repassadas pela instituição está em andamento.

Já a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, também por nota, informou que tem se esforçado para quitar os débitos com os hospitais, mas que há etapas que precisam ser seguidas e uma delas é a auditoria do processo que já está em tramitação.

Ainda segundo o órgão, a Superintendência de Regulação e Políticas de Saúde da SMS está analisando muitos processos e, por causa disso, houve um atraso, mas a secretaria está fazendo de tudo para debitar a dívida nos próximos dias e para acelerar as auditorias.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Saúde recomenda vacina contra febre amarela aos não imunizados em Goiás

Ex-marido encomendou execução de cabeleireira em Inhumas, diz delegado

Sistema de Água de Corumbá IV deve funcionar em seis meses

Radialista é assassinado a tiros no interior de Goiás

Apesar de quedas em demais crimes, número de feminicídios quase dobra em Goiás

Pires do Rio implanta projeto que troca recipientes que acumulam água por material escolar

Polícia Civil de Vianópolis recupera celulares roubados e prende receptadores

Posto de combustíveis de Vianópolis é assaltado novamente

Após denúncia, equipe do Batalhão de Choque da PM efetua prisão de homem por porte ilegal de armas em Silvânia

Goianão 2018 começa nesta quarta-feira

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2016 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato
Christyano.com.br