Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 22/09/2017 10:13
   
 

  Ministro do STJ nega pedido de suspeição de Moro feito por defesa de Lula

Ivan Richard Esposito - Repórter de Agência Brasil
www.agenciabrasil.ebc.com.br Foto: Agência Brasil

O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou nesta quinta-feira (21) pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o juiz federal Sérgio Moro seja considerado suspeito para julgá-lo em casos envolvendo a Operação Lava Jato. Essa é a segunda vez que Fischer nega esse tipo de pedido formulado pelos advogados do petista.

Em agosto, o ministro já havia indeferido habeas corpus protocolado pela defesa de Lula que alegava parcialidade do juiz Sérgio Moro, responsável pelos inquéritos decorrentes da Lava Jato na primeira instância. Na ocasião, o ministro argumentou que o meio processual escolhido, um habeas corpus, não é adequado para solicitar a suspeição.

Ao negar o recurso nesta quinta-feira, o ministro do STJ argumentou que a análise de eventual configuração sobre a suspeição do magistrado dependeria do reexame dos elementos de prova, o que iria de encontro aos termos da Súmula 7 do tribunal.

“Na hipótese, entender de modo contrário ao estabelecido pelo tribunal a quo, como pretende o recorrente, implicaria o revolvimento do material fático-probatório, inviável nesta seara recursal, e não somente discutir a violação à lei federal e aos tratados internacionais referentes à imparcialidade do juiz”, concluiu o ministro ao manter a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Anteriormente, o pedido de suspeição de Moro feito pela defesa de Lula foi rejeitado pelo TRF4. Na decisão, o tribunal entendeu que eventuais manifestações do magistrado em textos jurídicos ou palestras de natureza acadêmica sobre corrupção não levariam ao reconhecimento de sua suspeição para julgar os respectivos procedimentos.

Defesa

Em nota, os advogados do ex-presidente informaram que vão recorrer da decisão ao plenário do STJ. “Vamos recorrer para que o colegiado analise o tema da suspeição, tal como opinou o Ministério Público Federal em parecer emitido nos autos", diz o documento.

   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Pesquisa aponta que grupos de família no WhatsApp são o principal transmissor de fake news

Concurso da Polícia Federal abrirá 500 vagas para cinco carreiras

MP de São Paulo vai investigar Geraldo Alckmin por improbidade administrativa

Goiás é o quinto estado brasileiro que mais gerou empregos formais em março de 2018

Mais de 2.400 pessoas já foram vacinadas na Campanha de Vacinação contra a gripe H1N1 em Vianópolis

Enfermeira de Silvânia cria grupo terapêutico de apoio a adolescentes grávidas

Laboratório de Goiânia anuncia que resultado de exame em criança de Silvânia que morreu com suspeita da gripe H1N1 deve ser divulgado na segunda-feira

União Europeia embarga 20 frigoríficos de frango do Brasil

Projeto que obriga escolas a combaterem bullying é aprovado no Senado

STF concede prisão domiciliar a Maluf

Ver todas as notícias


 

Ouça

 

Assista

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2018 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato
Desenvolvido por DMM Web