Bem-vindo, (entrar) | www.radioriovermelho.com.br
 
   
 
       
 
 
 
 
Início > Últimas notícias > 15/07/2012 17:34
   
 

  Integrantes da CPMI defendem nova convocação de Marconi

Márcia Sousa
www.aredacao.com.br Foto: Divulgação

Integrantes da CPMI do Cachoeira defenderam neste sábado (14/7) que o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), seja reconvocado para explicar novas suspeitas que surgiram relacionando contratos firmados entre a Delta Construções e o governo do Estado, cuja intermediação teria sido feita por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Relatório da Polícia Federal obtido pela revista Época sugere que dívidas milionárias da empreiteira com o governo goiano foram liberadas mediante suposto pagamento de propina.

O gabinete de imprensa da Governadoria divulgou nota na qual nega as acusações, classificando o fato como "uma atitude de grupos políticos que tentam, de todas as formas, denegrir a imagem do governador Marconi Perillo". Na nota divulgada neste sábado, a governadoria salienta que os contratos firmados entre a Delta e o Governo de Goiás "já foram aprovados por uma sindicância feita pela Controladoria Geral do Estado e pelo Tribunal de Contas do Estado".

Conforme reportagem da revista Época, haveria um "compromisso" entre as duas partes, que envolveria a compra da casa do governador por Cachoeira, paga, segundo a PF, com recursos da Delta. Por meio da correlação de depósitos, a revista conclui que os créditos da Delta eram liberados à medida que o governador recebia as parcelas pela venda da casa, em três cheques (dois de R$ 500 mil e um de R$ 400 mil). A venda da casa esteve no foco principal do depoimento de Marconi na CPMI, no qual o governador negou ter relações com a Delta ou Cachoeira, sendo o imóvel vendido por Wladimir Garcês e incluso na prestação de contas.

O comunicado da governadoria também afirma que os "contratos obtidos no governo do Estado pela Delta vêm do governo passado, e os obtidos na atual administração o foram através de concorrências públicas amplamente divulgadas e disputadas. No caso, a Delta ofereceu nesses certames descontos acima de 20 por cento. Prova de que a empresa não obteve qualquer vantagem no atual governo é que ela possui valores superiores a R$ 6 milhões, referentes a faturas de serviços prestados na Agetop na administração anterior, que poderiam ter sido pagos na atual gestão e não foram por uma postura adotada pelo atual governo", consta na nota.

Sobre a relação com a venda da casa de Marconi, o comunicado informa que "mesmo depois do período da venda da casa, tanto a Delta quanto os demais prestadores de serviços regulares ao Estado continuaram recebendo em dia suas faturas. Procurar estabelecer ligação entre três pagamentos feitos à Delta de uma série continuada de outros pagamentos (conferir em transparencia.goias.gov.br) é uma atitude de má fé, leviana e irresponsável", conclui.

Nova convocação

Diante das novas suspeitas, o senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP) afirmou que apresentará na segunda-feira (16/7) pedido para trazer Marconi de volta à comissão e ter acesso ao relatório da PF que foi enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). "São gravíssimos os fatos, o que torna inevitável a reconvocação do governador Marconi Perillo", disse Randolfe. Para o deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ), é preciso chamar novamente Marconi para dar, pelo menos, o direito de ele se defender novamente.

Randolfe defende que a comissão faça uma sessão extraordinária na próxima semana para aprovar os requerimentos e tentar agendar o novo depoimento durante o recesso parlamentar. Miro, contudo, acredita que somente em agosto será possível ouvir o governador. (Com informações da Agência Estado)
   
 
   
  Voltar
   
  Mais notícias
   
  Ronaldo, da dupla com Humberto, é detido por embriaguez após acidente

Chapecoense é declarada campeã da Copa Sul-Americana

Prefeito eleito de Serranópolis, em Goiás, tem diploma cassado

Petrobras sobe preço do diesel e da gasolina nas refinarias

Justiça Federal mantém decisão que determina novas eleições na OAB-GO

Idade mínima proposta pelo governo em reforma da Previdência será de 65 anos

Polícia divulga fotos de suspeitos de matar motorista do Uber em Aparecida de Goiânia

Ministro do STF afasta Renan Calheiros do cargo de presidente do Senado

Período para a solicitação de vagas nas escolas estaduais para alunos novatos começa sexta-feira, 09

Major Araújo diz que não vai assumir cargo de vice-prefeito de Goiânia

Ver todas as notícias


 

 

 
  Participe
Seu nome:
 

Seu comentário:

 
 
 
  Peça sua música
Seu nome:
 
Cidade/Estado:
 
Sua música:
 
Manda para:
 
 
 
  Redes Sociais
 

 
 
   
 
  © Copyright 2012-2016 - Rádio Rio Vermelho - Todos os direitos reservados

A Rádio | Notícias | Programação | Comercial | Equipe | Contato
Christyano.com.br